Posts Tagged ‘vida’

Julia – Filosofia no boteco

Posted: 10th março 2011 by Denys Presman in teatro
Tags: , , , , , , , , ,

Tweet O texto abaixo é uma passagem da peça “Julia”, de Denys Presman. Clique aqui para ler a peça na íntegra. Diego – Eu vou morrer e daí? A morte não me diz muita coisa. Eu acredito em algo mais. Não sou só um período cronológico. Uma linha reta entre os pontos A e B. […]

Me engana que eu gosto

Posted: 17th fevereiro 2011 by Denys Presman in Crônicas
Tags: , , , , , , ,

Tweet Uma coletânea  com as maiores mentiras da humanidade –  Eu tenho namorado –  Vou dar uma volta para comprar chope. –  Um gole de chope me deixa doida –   Só te quero como amiga. –   É bonitinha? – Ela é simpática! –  Isso nunca me aconteceu antes! –  Namorado de amiga minha é mulher! […]

Paixão de poesia

Posted: 2nd janeiro 2011 by Denys Presman in Poesia
Tags: , , , , , , , ,

Tweet Ah! Meu poeta sozinho, que não findou seu caminho, já não está tudo tão claro? Até certo ponto é primário. Não há porque ser solitário. Morrer na estrada. Faz pouco caso das letras… das palavras… Chore, sim, sem lágrimas… Sorria sem dentes, ou com eles, amarelados, pouco contentes. Mas mesmo moribundo, pedindo por água, […]

Morte na estrada

Posted: 2nd janeiro 2011 by Denys Presman in Poesia
Tags: , , , , , , , , , ,

Tweet O poeta sozinho morreu na estrada. Não quis viver, desfez-se de letras e palavras, chorou sem lágrimas, sorriu sem dentes, castrou a mão e não findou o percurso. O poeta sozinho não completou o caminho. Negou-se a vida, desfez-se de emoção e sentimento só ficando com desilusão e tormento. Chorou sem lágrimas, sorriu sem […]

Tweet Morreu sentado, o olhar sem brilho encarava o nada. Já não havia ninguém ali. Silêncio. Vácuo. – Onde estou? Ei… Onde estou? Me Responda. Me responda.. (Choro. Lágrimas.) – Calma gente. Eu estou aqui. Eu estou bem. Não é preciso tristeza. Eu estou vivo  aqui. Foi de madrugada, nem percebeu, não sentiu nada. Nada.  […]

Fim

Posted: 19th dezembro 2010 by Denys Presman in Poesia
Tags: , , , ,

Tweet Este é meu fim. Só um barulho, no meio da noite, prova que há vida. O vento frio levou meu destino longe de mim. Sinceramente, eu não vivo mais. Este é meu fim. *Denys Presman é jornalista e brasileiro Gostou? Comenta, compartilha, divulga! Tweet

Do Sentido Das Coisas

Posted: 14th dezembro 2010 by Denys Presman in Crônicas
Tags: , , , , , , ,

Tweet Aí eu morri e fui pro céu. Diante de Deus, tento me explicar. – Sim, fiz tudo que deveria ter feito. Bom, se fui feliz? E isso é importante? Senti um pouco de desapontamento na expressão divina. Será que tinha feito algo errado? Acuado, retruquei. – Era isso que era para fazer, não era? […]